Eu não era mais criança quando li Harry Potter pela primeira vez. Ainda assim, me encantei com aquele universo como se eu ainda tivesse onze anos de idade. Como resistir à magia? Impossível!

Da mesma forma, como resistir à magia de Animais Fantásticos e onde Habitam, filme que nos oferece mais uma oportunidade de entrar no fantástico mundo bruxo de J.K. Rowling? Eu confesso: não resisti! Acompanhamos, eu e meu filho, a pré-estréia ontem aqui em São Paulo e saímos do cinema felizes da vida.

Classificação Indicativa

Antes de mais nada, um aviso: a classificação indicativa de 12 anos é bastante adequada. O filme tem vários momentos bem tensos e que podem sim assustar as crianças menores. Crianças a partir dos 9, 10 que já estejam acostumadas com os momentos mais sombrios do universo Harry Potter (que tenham assistido aos últimos filmes sem grandes sustos, por exemplo) conseguem acompanhar numa boa, mas talvez precisem – como o meu filho precisou – segurar a mão da mãe, do pai ou de seu responsável em alguns momentos da história.

Os fantásticos animais

Em Animais Fantásticos Newt Scamander (Eddie Redmayne) é um bruxo magizoologista, que se dedica a pesquisar, documentar e proteger criaturas mágicas. Já me identifiquei de cara com ele porque, né, sou dessas que também curte demais resgatar e proteger os animaizinhos.

Claro que enquanto eu resgato gatinhos e cãezinhos da rua, Newt se dedica proteger e cuidar de criaturas um tanto quanto exóticas como a Águia Trovão e o Occamy, ou fofinhas e carismáticas como o Pelúcio e o Tronquilho. O mais legal é que além de cuidar ele carrega essas criaturas com ele, numa mala mágica!

Nós já conhecíamos Newt Scamander no mundo de Harry Potter pois ele é o autor do livro “Animais Fantásticos e Onde Habitam”, (que inclusive foi lançado aqui no nosso mundo trouxa pela J.K Rolling em 2001, com renda revertida à instituição Comic Relief).

A obra é prefaciada por Alvo Dumbledore, e faz parte das indicações de literatura para o estudo de “Trato das Criaturas Mágicas”, em Hogwarts. Porém o filme se passa bem antes desse livro ser escrito.

Os personagens 

Estamos em 1926 e Newt Scamander está chegando em Nova York com sua maleta mágica recheada de bichinhos quando um “Não-Maj” (como são conhecidos os “trouxas” nos Estados Unidos) chamado Jacob (Dan Fogler) cruza seu caminho, o que acaba causando a fuga de alguns de seus animais.

A dupla é investigada por Porpentina Goldstein, aTina, (Katherine Waterston) uma ex auror da Macusa, o equivalente americano ao Ministério da Magia, que acabou afastada de sua função. Tina, por sua vez, é a irmã da bruxa Queenie Goldstein (Alison Sudol), que tem a habilidade da legilimência (siiiiim, ela lê mentes *_____*)

Está formado aí o nosso grupo principal. Achei o máximo termos um grupo principal no mundo adulto, aliás. Vale dizer aqui que a comunidade bruxa dos Estados Unidos vive escondida e não se mistura com os “Não-Majs”, o que nos leva a outro núcleo da história: a Sociedade Filantrópica Nova Salem, um grupo de “Não-Majs” que considera os bruxos uma ameaça.

E aqui começa o lado mais pesado do filme. Mary Lou Barebone (Samantha Morton) é a arrepiante líder desse grupo de anti-bruxos, e vive com seus filhos adotivos não menos esquisitos e apavorantes: Credence (Ezra Miller), disparado o meu personagem favorito do filme, Chastity (Jenn Murray) e Modesty (Faith Wood-Blagrove, que, aliás, é a única criança do elenco).

Por último, e não menos importantes, temos a figura de Percival Graves (Colin Farrell), auror, chefe do departamento do cumprimento das leis mágicas da Macusa. E também a participação relâmpago e polêmica do bruxo das trevas Gerardo Grindelwald (Johnny Depp).

O que achamos

A história mistura esses momentos mais leves, alegres e divertidos de magia e encantamento com cenas mais pesadas, sombrias e que, como já é tradição de J.K. Rolling, abordam temas importantes como o preconceito e a intolerância.

O filme tem muitas cenas de ação e muitos movimentos lindos de câmera, passeando pela cidade e cenário, uma verdadeira viagem pela Nova York dos anos 20. Os figurinos, detalhes, objetos de cena são todos perfeitos assim como os animais e, em especial, todo um universo impressionante que acontece dentro da maleta do Newt.

Recomendo muito que seja assistido em 3D. Nós tivemos a oportunidade de ver em 4D no Cinépolis do JK Iguatemi, aqui em São Paulo com direito a cadeiras mexendo a cada movimento de câmera, sopro das criaturas mágicas nos nossos rostos e ouvidos e até água caindo. Apesar de uma certa tontura, experiência aprovadíssima, foi MUITO divertido e Samuel delirou.

Animais Fantásticos e onde Habitam estreia hoje, 17 de novembro, em todo Brasil, em versões 2D e 3D e Imax, e conta novamente com direção do David Yates, que esteve à frente dos últimos quatro filmes da saga Harry Potter (filmes que eu adoro).Classificação indicativa: Não recomendado para menores de 12 anos Classificação Remisson: Classificação adequada. Tem cenas de violência e algumas bastante sombrias e assustadoras. Para crianças valentes a partir dos 9, 10 anos, que estejam familiarizadas com o universo mais sombrio de HP, dá pra encarar!

Por último, e não menos importantes, temos a figura de Percival Graves (Colin Farrell), auror, chefe do departamento do cumprimento das leis mágicas da Macusa. E também a participação relâmpago e polêmica do bruxo das trevas Gerardo Grindelwald (Johnny Depp).

Quer presentear nesse dia das crianças e não sabe como? Pac Mãe te dá uma forcinha! Já falamos várias vezes aqui no blog sobre o consumismo dentro e fora do mundo nerd e da necessidade de repensarmos algumas datas comerciais, como o dia das mães e até a Páscoa, por exemplo. Fica meio difícil escapar do bombardeio que a mídia e as lojas fazem em torno do Dia das Crianças, mas sempre é possível e desejável conversar com os pequenos sobre esse tipo de data.

Será necessário mesmo comprar um presente? Será que familiares (avós, tios, padrinhos)  já não estão pensando em comprar presentes também, o que acarretaria em uma quantidade imensa de brinquedos novos? Será que a criança quer mesmo aquele presente ou brinquedo, ou só está somente empolgada por ver outras crianças com ele ou muitas propagandas sobre ele?

Questionar é importante. Muitas vezes estamos tão acostumados a reagir sem refletir diante dessas datas comerciais que quando percebemos mais um presente foi comprado de forma impulsiva e será provavelmente deixado de lado em alguns dias. Dito isso, selecionamos algumas sugestões que podem servir de inspiração para um presente criativo, original e divertido. Lembrando que um passeio em família, uma tarde fazendo alguma atividade juntos, uma troca de carinho e de amor, também podem ser presentes incríveis, inesquecíveis e muito aproveitados por todos. Aqui no post você vai encontrar sugestões sobre tudo isso e muito mais!

Brinquedos tradicionais da nossa infância

A ideia de mostrar aos pequenos como eram os brinquedos de outras épocas e brincar juntos é infalível. Para os adultos é nostalgia pura e para as crianças uma oportunidade de deixar um pouco de lado os celulares, tablets e outros eletrônicos e brincar “de verdade”. Um exemplo são os brinquedos da Rede Asta, feitos à mão por artesãs de baixa renda A produção dos itens respeita o meio ambiente pois reaproveita materiais e gera renda para essas mulheres, sem deixar de lado a qualidade. Tem bilboquês, vai-e-vem, cordas de pular, elástico (Amava! Minha brincadeira favorita na época da escola – mas esse do grupo Divas é bem diferente, colorido e coberto de tecido, uma graça!), peteca e outros brinquedos tradicionais. Vale dar uma passeada pelo site e conhecer o trabalho deles. No site Elo7 você também encontra várias opções artesanais como carrinho de rolimã, pião, fantoches e aqueles tapetes de amarelinha (que aliás eu também tinha e adorava!).

Não quer gastar dinheiro? A maioria desses brinquedos podem ser feitos em casa, com materiais recicláveis e com ajuda das crianças. O próprio momento de construir juntos o brinquedo já vira por si só uma brincadeira muito legal. Também rola dar uma pesquisada no fundo do armário e nas casas dos avós e descobrir relíquias originais “da nossa época” para repassar aos filhotes.

Brinquedos Musicais

O que é a vida sem um pouco de música? A gente ama, e as crianças também. As sugestões de presentes musicais vão desde  um primeiro instrumento mais simples e rústico, como um  Tamborzinho, um Chocalho, um Conjunto de Apitos ou um Pau de Chuva, até, para os maiores, um Mini Acordeon, um Teclado ou um Violão estilo Ukulele, que podem ser a porta de entrada para um estudo mais profissional da música. Se a intenção é incentivar o estudo, a coleção de livros Brincando com Música, da Escala Educacional pode ser um estímulo a mais. Também o site  Sala do Músico, que reúne professores de música de todo o Brasil, está oferecendo agora em outubro, em homenagem ao Dia das Crianças, desconto de 25% no pacote de 4 aulas, ou seja, comprando 3 aulas você ganha uma grátis. Os valores das aulas variam entre R$ 50 e R$ 400 de acordo com o perfil e a especialização de cada professor. 

Não quer gastar dinheiro? Se você tem o dom de tocar algum instrumento musical, chegou a hora de passar adiante seus ensinamentos. Mais uma vez, a grande diversão é curtir momentos de diversão juntos. Não toca nada? Leve seu filho a uma apresentação musical gratuita em sua cidade. No site do Sesc é sempre muito fácil encontrar shows de qualidade gratuitos ou a preços super em conta. Outra ideia é aprenderem juntos técnicas de percussão corporal. Grupos incríveis como o Barbatuques costumam ensinar algumas técnicas simples em vídeos do Youtube.

Brinquedos Eletrônicos 

Não deu pra escapar, né? Quem é você afinal para reclamar? Você por acaso larga esse celular? Desconecta dessas dezenas de aparelhinhos que nos cercam diariamente? Olha lá, héim… Nada de hipocrisia por aqui. Não adianta querer que a sua criança brinque mais na rua sem dar o exemplo antes, combinado? Bora desligar tudo antes de começar a cobrar a criança. Nossa seleção de eletrônicos reúne tablets infantis, carrinhos de controle remoto (da Candide, tem nos temas Frozen e Star Wars, muito legais, gostei de ver que tem um carrinho de controle remoto voltado para o público feminino – sim, a gente sabe que nem precisa ser cor de rosa para as meninas brincarem, mas algumas se importam com isso, acho legal ter essa opção),  um teclado gamer para PC, uma luminária de foguete que também vira lanterna de LED e até uma Minnie com reconhecimento de voz que interage com a criança. Devo confessar, porém,  que tem um presente em especial dessa seleção que eu quero pra mim! Sério… Lançamento da DL, esse Tablet da Hello Kitty, desenvolvido em parceria com a Sanrio, tem sistema Android, wi fi, 3G, processador Dual Core 1,2 GHz, 512 MB de memória RAM e memória interna 4GB. Vem recheado de conteúdos e aplicativos da Hello Kitty e ainda acompanha uma bolsinha exclusiva (e linda). O preço sugerido é de R$ 379,90 e já estou aguardando o meu!

Além de nós recebermos alguns livros das editoras (super obrigada <3), Marco tem manifestado interesse por leitura, que o acompanha na perua durante a ida e volta da escola, intervalo de atividades e em casa. Por conta disso, resolvi fazer uma lista contando o que tá rolando de legal.

Hora de Aventura com Fionna & Cake e Hora de Aventura: Marceline e as Rainhas do Grito

(Editora Panini Livros)

Coloquei esses dois juntos, pq fazem parte da mesma coleção. Esses livros / hq’s são lindos! Capa dura, cores bem vivas e letras grandes, bom para os pequenos que estão iniciando o gosto por leitura. Para quem assiste o desenho “Hora de Aventura”, os personagens já são conhecidos. Mesmo tendo muitas páginas, meu filho leu em 3 dias. Foi sucesso absoluto por aqui!

Preço médio: R$19,90

Classificação Pac Mãe: Crianças na faixa de 8 anos que já estejam familiarizados com leitura, são muitas páginas e a história é um pouco mais longa.

O Pinguim Azul de Miguel

(Editora Quatro Cantos)

Rosana Martinelli e Mariana Belém

Fui ao lançamento desse livro e fiquei encantada, não só pelas lindas ilustrações como também pela forma natural e delicada em que aborda o tema estereótipos de gênero.

Preço médio: R$40,00

Classificação Pac Mãe: Crianças a partir de 6 anos, a leitura vai gerar conversa sobre o tema, o que é bem legal já que nessa idade começam a surgir algumas questões trazidas “de fora” (escola, por exemplo)

A Ditadura é Assim

(Editora Boitempo, Coleção Boitatá)

Mikel Casal

Como funciona a sociedade dentro de um regime autoritário? Quando vi esse livro, pensei “que máximo!!”. Não conhecia e apesar de gostar de política sempre achei complicado explicar de uma forma que seja compreensível para uma criança entender.

A Democracia pode ser Assim

(Editora Boitempo, Coleção Boitatá)

Marta Pina

Complementando a leitura do livro anterior (conforme sugerido por uma leitora do Pac Mãe no instagram <3) aqui é apresentado o conceito de democracia utilizando elementos da rotina das crianças.

Preço médio: R$39,90

Classificação Pac Mãe: Crianças que estejam na faixa de 8 / 10 anos. Esse selo tem mais alguns títulos muito bons, provavelmente falarei sobre eles em um próximo post. Estou tentando fortemente levar essas leituras para a sala de aula.

Authentic Games – Vivendo uma Vida Autêntica

Astral Cultural

Bom, se vcs tem filhos com idade na faixa de 7 anos para mais, certamente já conhecem o canal Authentic Games no Youtube. Acredito que esse é um dos poucos que deixo o Marco assistir mais “sossegada” digamos assim. Esse livro foi um pedido dele aliás, onde o Marco Túlio conta como se fosse um diário como eram as coisas na escola, os “causos” da sua vida, etc

Preço médio: R$20,00

Classificação Pac Mãe: 7 anos. Confesso que relutei em dar o livro, tenho mil ressalvas com esses youtubers, mas lendo junto com o Marco vi que não tem nada demais e que foi uma leitura divertida para o pequeno.

Esse livro sempre terá um lugar especial no meu coração, seja por que é simplesmente lindo ou por ter sido meu primeiro livro de verdade a ser lido, nas minhas férias escolares após a alfabetização, com a ajuda da minha mãe. E tenho certeza que muitas outras Pac Mães vão se apaixonar também!

A fada que tinha ideias conta as aventuras da fadinha Claraluz, que de boba não tem nada! Ela apronta diversas mágicas junto com amiguinhos encantados e nos coloca pra refletir de uma maneira lúdica e inocente sobre temas como obediência, por exemplo.

É um livrinho muito fofo e empoderador, e as ilustrações aquareladas são a coisa mais linda!
Descobri que existe uma versão do livro em peça de teatro e pelo figurino imagino que deva ser muito legal, minha sobrinha já assistiu e adorou.


O livro é da autora Fernanda Lopes de Almeida, publicado pela Editora Ática e custa cerca de 40 reais pela internet. É recomendado para crianças de 08 a 11 anos, mas eu acho que crianças a partir de 06 anos são capazes de compreender direitinho a história. É uma leitura muito gostosa pra se fazer com seu geekling <3

Outro livro queridinho é O menino do dedo verde. Super político, fala das lições do meninos Tistu com seus dois professores tão diferentes e tem um final muito emocionante. É um daqueles livros que a gente não se cansa de ler nunca, é claro, tem ilustrações muito lindinhas e delicadas.

Esse livro tem uma temática atemporal e vale muito a pena ter, não só pelo preço (tem por cerca de 18 reais na Saraiva) mas por que muitas escolas o usam (e devem mesmo!). Ele é classificado como infanto-juvenil, e pessoalmente acredito que crianças a partir de 07 anos conseguem entender a história super bem, com a ajuda de um adulto, claro.

Eu ando querendo muito uma nova edição do meu, pois o que tenho já foi muuuuito manipulado e algumas páginas caíram, então aproveitei pra colocá-lo na minha pilha de livros para reciclagem – uso as páginas para forrar caixinhas, fazer bandeirinhas, lanterninhas e principalmente para desenhar.

As crianças que já curtiam passear na Bienal Internacional do Livro de São Paulo antes, vão gostar ainda mais da 24ª edição! O evento que acontecerá entre 26 de agosto e 4 setembro de 2016 contará um espação exclusivo só pra elas. E melhor, é um espaço em homenagem à Turma da Mônica!

Num evento essa semana lá na MSP, nós vimos em primeira mão o projeto do espaço e posso contar que tá muito lindo e cheio de coisas diferentes pra fazer.

Os visitantes serão recepcionados por uma Mônica de 3 metros de altura e já na fila, poderão deixar seus desenhos nas paredes. Na primeira atividade, brincarão na área temática “No Mundo das Histórias em Quadrinho”, onde a ideia é se sentir dentro da revistinha, naquele escorregador de rolinhos que quem frequentou o antigo Parque da Mônica, se lembra muito bem.

Adultos e crianças poderão matar sua curiosidade ao observar os desenhistas da MSP trabalharem ali, ao vivo, em um estúdio montado especialmente para a Bienal. Isso é sempre um sucesso e eu posso passar HORAS olhando um profissional desenhar.

Na “Exposição Mauricio 80”, os fãs também vão conhecer a linha do tempo com os melhores momentos da vida de Maurício de Sousa vendo objetos que pertenceram a ele quando era um jovem desenhista, como sua primeira prancheta, da década de 60.

E uma novidade será lançada neste espaço que com certeza será um sucesso. As crianças (e adultos, claro :P) vão poder fazer seu avatar personalizado e um cartaz gratuito que será impresso na hora! E quem quiser comprar, a Editora Eu no Livro estará vendendo os livros personalizados com esses avatares. Então você pode levar pra casa a história “Turma da Monica e Bia” <3    Não é demais? Vai custar R$39,90 e eles juram que fica pronto rapidinho.

Claro que no final, tem o espaço da Editora Girassol, com livros e gibis da turminha. 🙂

E agora, um servicinho básico:
Ingressos

Os visitantes podem fazer a compra antecipada pelo site http://www.bienaldolivrosp.com.br, ou pontos físicos da Tickets For Fun. Até 25 de agosto, serão disponibilizados três pacotes com descontos especiais:

  • Pacote Galerinha: Compre 10 ingressos meias-entradas e ganhe 10% de desconto;
  • Pacote Galera: Compre 5 ingressos inteiros e ganhe 20% de desconto;
  • Pacote Família: Compre 3 ingressos inteiros e ganha 10%.

Compras pelo site: http://www.bienaldolivrosp.com.br

2ª feira a 5ª feira: R$ 20,00

6ª feira a Domingo: R$ 25,00

Meia-entrada: Estudante / Funcionário SESC SP e matriculados no SESC SP credencial plena

Menores de 12 anos e maiores de 60 não pagam ingresso

Pontos de vendas

Primavera Literária, que acontece em São Paulo, terá stands de 31 editoras que oferecerão mais de mil títulos dos mais variados gêneros literários com descontos de no mínimo 20%, além de mesas de debates, declamação de poesias e show do grupo “Saco de Gatos”. Uma novidade é o Espaço Leiturinha. A marca, um clube de assinaturas voltado para literatura infantil, organizou um lounge para a promover a interação entre os pequenos e seus pais.

O Espaço contará com diversos títulos infantis e infraestrutura para este momento em família, além de apresentação de peças teatrais, contação de histórias para crianças e lançamento de livros.

A Primavera Literária é promovida pela Liga Brasileira de Editoras (Libre) e acontece nos dias 26 e 27 de novembro, das 9h30 às 17h30, no Parque Villa Lobos, em Pinheiros, São Paulo.

Veja aqui a programação completa do evento.

Você quer ser artista e me pergunta se para isso basta ter inspiração. Muitas pessoas ainda acreditam que a arte é o triunfo da inspiração. Elas imaginam que basta ao artista esperar a chegada da inspiração para realizar sua obra. Pois a história nos conta uma outra versão: o artista – pintor, escritor, escultor, músico – na verdade deve ter talento e uma grande dose de perseverança. Sem perseverança, nenhum talento triunfa. Muito menos a inspiração. Para ilustrar o que estou dizendo, gostaria de contar-lhe a história da realização de uma obra-prima artística.

No dia 1º de novembro de 1512, abriram-se as portas da Capela Sistina, no Vaticano, para que todos pudessem admirar os afrescos que o artista florentino Michelangelo Buonarroti tinha pintado no teto. Era uma maravilha! Eram cerca de 500 metros quadrados de área pintada, que se elevavam a uns 20 metros de altura. Lá em cima, em andaimes especialmente preparados, Michelangelo tinha passado quatro anos pintando e desenhando sozinho as cenas da história da Criação do Mundo!

Uma das cenas que pintou, a criação de Adão, tornou-se mundialmente famosa. Deus estende o braço direito e seu dedo está prestes a tocar o dedo de Adão para insuflar-lhe vida. Adão está encostado numa rocha e exibe um corpo perfeito, imagem da perfeição da obra de Deus. É uma cena emocionante.

douglas

Mas, para realizar essa obra-prima, Michelangelo não contou apenas com o seu talento. A pintura era uma encomenda do homem mais poderoso de Roma e do chefe da Igreja católica, o papa Júlio II. E Michelangelo foi obrigado a suportar seus momentos de impaciência e sua falta de pontualidade nos pagamentos. Teve de suportar ainda as críticas e intrigas dos invejosos rivais. Teve de aguentar as dores no corpo e a solidão. Enfim, foram quatro anos de sacrifícios e dificuldades, mas Michelangelo conseguiu superar tudo isso porque, além de talento, tinha uma qualidade fundamental: a perseverança.

Para provar a si mesmo e aos outros que era capaz de superar aquele desafio, Michelangelo teve de buscar, dentro de si, forças que nem mesmo ele pensava ter. É claro que, diante das pressões, várias vezes pensou em desistir do projeto. Mas cada dificuldade que surgia parecia fazer renascer dentro dele mais uma reserva de forças. Imagine a concentração desse homem, empenhado, durante anos, a criar as cenas e a pintá-las, sozinho! Calcule as dúvidas e incertezas que o atormentaram. No entanto, continuou até o fim, confiante em sua capacidade de criação e de trabalho.

Com Michelangelo, aprendemos que só o talento não basta. Há muitas pessoas talentosas, mas as que conseguem realizar-se são aquelas que sabem unir o talento à perseverança, à vontade de vencer. São aquelas que não veem as críticas como desestímulo, mas, ao contrário, como estímulo para prosseguir e superar as falhas.

Os grandes artistas, meu caro amigo, podem nos ensinar muitas coisas, além de arte.

Um abraço afetuoso

Crônica do Professor Douglas Tufano

“Rir de tudo é coisa de tontos. Mas não rir de nada é coisa de estúpidos.”

Quem disse isso foi um antigo filósofo holandês chamado Erasmo, que viveu no longínquo século 16. Mas, se vocês pensarem bem, essa é uma observação muito sábia sobre o comportamento humano. E vale tanto para o passado como para hoje, pois o ser humano não mudou.

Hoje em dia, muita gente ainda confunde seriedade com falta de humor. No entanto, uma pessoa séria não é aquela que vive de mau humor, incapaz de se permitir uma brincadeira.

Ser sério é saber encarar com responsabilidade aquilo que é importante. Mas nem tudo é importante na vida. Por isso, devemos aprender que há tempo para rir e tempo para ficar sério. Quem não sabe diferenciar um tempo do outro, diz Erasmo, ou é tonto ou estúpido.

E eu digo a vocês: saber rir de si mesmo é também uma prova de sabedoria e maturidade. Quem é muito severo consigo mesmo, sofre bastante, vive se mortificando, perde a auto-estima. Frequentemente, cai em depressão.

Mas saber rir de si mesmo significa saber reconhecer seus limites e estar consciente de que ninguém é perfeito. Ser autoindulgente, isto é, saber perdoar-se quando não conseguir alcançar alguma coisa, é uma grande qualidade numa pessoa. Devemos ser exigentes com nós mesmos, mas na medida certa. Um pouco menos, viramos pessoas irresponsáveis, que não levam nada a sério. Um pouco mais, nos suicidamos.

Quando alguém é capaz de rir de si mesmo, de não se levar exageradamente a sério, é capaz também de compreender melhor os outros, de não dar importância a coisas insignificantes; por isso, melhora seu relacionamento e torna-se uma pessoa agradável.

Por outro lado, quem gosta da companhia de alguém extremamente exigente, que quer tudo perfeitinho, que é tão implacável com relação a si mesmo quanto com relação aos outros? E, pior ainda, que não admite brincadeiras nem faz brincadeiras? Uma pessoa assim é insuportável.

Por isso, acho que tinha muita razão aquele filósofo holandês. Quem não ri de nada é porque não está entendendo nada. É estúpido mesmo. Tem muita dificuldade de perceber que a vida não pode ser calculada com precisão matemática e que as pessoas não são programadas. A vida tem seus imprevistos e suas contradições, nem tudo que planejamos pode dar exatamente certo. Por isso, devemos ter jogo de cintura para contornar as situações e humildade para reconhecer que nós também podemos dar vexames e provocar riso nos outros. E com nosso exemplo, os alunos podem aprender mais essa lição de vida.

Duas antologias participam da festa literária: uma de moradores do Calabar e http://2.bp.blogspot.com/-h9-Y7qAC8kU/UUpnLFZDDeI/AAAAAAAAAK4/a6U2ezj8KE8/s1600/img.recantodasletras.net.jpegoutra com 122 poetas do mundo inteiro
Valdeck Almeida de Jesus participará

do 27º Salão do Livro e Imprensa de Genebra (Suíça) e vai lançar, no estande D426, do Varal do Brasil, dentre outros, os livros “Abre a Boca, Calabar” (Capa: Carlos Conrado Spykezem) e “Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus – 2012″, com capa de Nilda Lima Graeser. O Salão do Livro acontece no Palexpo, de 1º a 5 de maio de 2013, das 9 às 19 horas, e reúne literatura e imprensa do mundo inteiro. O convite foi feito pala escritora Jacqueline Aisenman, que participa da feira pela segunda vez com um estande da Editora Varal do Brasil. Jacqueline é brasileira e mora em Genebra há mais de vinte anos, sempre envolvida com cultura e literatura. Além de expositora, ela também promove a revista eletrônica Varal do Brasil – literário sem frescura!, que divulga milhares de escritores.A nova edição do livro “Abre a Boca, Calabar” (Pimenta Malagueta Editora), resultado do concurso literário realizado pela Biblioteca Comunitária do Calabar, foi lançada em 2012 na sede da instituição, em Salvador-BA. Nas edições de 2009 e 2010, o projeto foi idealizado e patrocinado pelo jornalista e escritor Valdeck Almeida de Jesus, que continua incentivando a iniciativa. Em 2012 a publicação recebeu apoio da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB), por meio do edital Calendário das Artes. A obra prestigia jovens do bairro Calabar e reúne os 50 autores que participaram das edições anteriores.

Escritores do livro

A edição de 2012 tem poemas de: Amanda Beirão, Ariana Santos Veloso de Jesus, Bruna Santos de Jesus, Caique Neri Brito, Caissa Pita Vasconcelos, Cauan Roque Almeida dos Santos, Crislanda Neves, Eberton de Jesus, Ester da Silva Moraes, Fabio Neves Conceição, Felipe Silva Beirão, Gilson Assis, Iradir Pereira da Silva, Isla Gabriele Santos de Oliveira, Janaina Bonfim dos Santos, Joyce Regia Dias da Silva, Julia Reis Bispo dos Santos, Jussara dos Santos, Kevin Carvalho dos Santos, Keyla Trigueiros Rodrigues dos Santos, Leonardo Conceição, Lucas Santos da Silva, Lucilene Lima Pires, Luís Henrique Beirão Santos, Luís Maurício dos Reis Soledade, Marcos Peralta, Joara Ledoux, Marcos Vinicius, Maria do Carmo Abade Bento, Maria Luiza Lacerda, Mel Oliveira, Milena Borges dos Santos, Nadson Almeida Beirão, Nicolas Dias da Silva, Nubia Trigueiros Rodrigues, Rafael Beirão Dantas, Rafaela Beirão Dantas, Raiane Beirão Dantas, Rayla Bispo Nascimento, Rebeca Trigueiros Rodrigues dos Santos, Robespierre Dantas, Rodrigo Rocha Pita, Samuel dos Santos Moraes, Tacila Cerqueira, Tainá Silva, Talita Trigueiros Rodrigues dos Santos, Tamires Araujo, Tarcisio Trigueiros Rodrigues, Tayná Trigueiros Rodrigues e Wesley dos Santos Lopes.PRÊMIO VALDECK ALMEIDA

O livro contém poemas de 122 poetas do mundo inteiro, a maioria de brasileiros que participaram do concurso “Prêmio Literário Valdeck Almeida de Jesus 2012″. A ideia do concurso surgiu em 2005, por iniciativa dO jornalista e escritor Valdeck Almeida, que escreve desde os 12 anos de idade e só conseguiu publicar o primeiro livro aos 39 anos. O projeto tem apoio do Plano Nacional do Livro e Leitura, que divulga a iniciativa no site oficial. O núcleo baiano da União Brasileira de Escritores-UBE, também dá apoio de divulgação ao projeto.A edição 2012 traz poemas de autores brasileiros e poetas do Japão, Suíça, Inglaterra, Estados Unidos e Portugal. Os dez primeiros colocados foram 1º – Vai, Carlos, vai ser Drummond na vida (Ana Claudia de Souza de Oliveira); 2º – Memórias póstumas de Quincas Borba (Edweine Loureiro); 3º – Vida dura (Éber Sander); 4º – Um desconhecido no canto da sala (Simone Pessoa); 5º – Um Brasil apaixonado por futebol (Arai Terezinha Borges dos Santos); 6º – Monólogo da solidão (Nubia Estela); 7º – Lembranças (Renata Paccola); 8º – Delírios de um Poeta em Desamor (Rossandro Laurindo); 9º – O devorador de livros (Ana Lucas); 10º – É assim, Fulano (Flávia Brito). Os jurados escolheram, também, menções honrosas: Incubus (Ana Claudia de Souza de Oliveira); Crônica de um Fygura (Nádia da Rocha Ventura); O amor de Cler (Expedita Gomes de Araújo); A cigarra e o poeta (Zelito Magalhães); O Macondo de Gabriel García Márquez (Viviana Carolina Mendez Rocha Podlyska); Copa 2014 no país de Jorge Amado (Terezinha Santos de Amorim); A Realidade (Sandro Sussuarana); A intenção (Osmar Santos); A Cidade dos Errados (Marcelo de Oliveira Souza); A menina do raio de sol (Mano Kleber). A lista completa de todos os selecionados está neste link do site Galinha Pulando.