Com Certeza é Amor – Blogagem Coletiva

Quando eu tinha 14 anos, (faz um tempinho já), eu queria ter 06 filhos, sempre sonhei com aquela mesa cheia nos domingos, crianças correndo pela casa, brinquedos espalhados, risos, manhas, choros também, e no futuro, netos, muitos netos. Na minha cabecinha de 14 anos, era tudo fácil, começava com um, parava no seis e família pronta. Mas a vida não acompanha a facilidade de pensamentos de uma cabecinha de 14 anos.
Me casei aos 19, afinal queria ser mãe de seis e não vó, Passou um ano, e nada, nem o primeiro, nem o segundo. Lá fui eu, com essa tranquilidade que não demonstro porque não possuo, procurar um médico. Comecei com uma médica, exames, exames, exames e mais exames. Nisso foram quase dois anos. Ela descobriu depois de mais exames que meu marido precisava uma pequena cirurgia, nos indicou um médico para ele e assim foi. Exames, exames, exames, mais exames. Cirurgia feita, problema resolvido, parecia que desta vez daria tudo certo. Mais seis meses passaram, nada, cada mês era uma dor no coração, parecia uma faquinha afiada sendo enfiada devagarinho para ver até onde a dor seria suportável.
Retornei a médica, lembro até hoje, que neste dia eu fui sozinha, era final de tarde, uma chuvinha fria de inverno acompanhada de um vento forte, fazia congelar até os ossos, o dia cinza, se havia algo mais cinza que o dia era meu coração, que andava preto coitado de tanto sangrar aos pouquinhos.

Com Certeza é o Amor

Sentei na frente dela com a esperança de ouvir que era só uma questão de tempo, que em breve tudo daria certo. Pois bem, não foi o que aconteceu. A criatura, por quem até aquele dia eu sentia  uma certa admiração, olha pra mim, bem nos meus olhos e lasca, sem dó nem piedade.
-Iara, tu nunca vai ter um filho, desisiti. Se até agora não deu certo, pode desistir, Gelei, tremi, meus olhos encheram dágua, mas não chorei, dificilmente choro na frente de alguém, dei tchau, assim meio muda, meio tonta e sai, Quase, neste dia quase morri, atravessei a rua sem olhar e vinha vindo um caminhão, foi por pouco, muito pouco, mas ouvi cada elogio do tiozinho que vocês nem imaginam.


Vim pra casa, contei aquela novidade pro marido, nossa, ele ficou muito brabo, no outro dia rumou a capital, falar com o médico dele, que em palavras “meigas” disse que a minha médica tava louca, totalmente enganada, e nos deu o nome de outro médico. E foi aí que eu conheci meu amigo anjo, No dia da primeira consulta, meu marido não pode ir junto, fui sozinha, eu tremia, tremia mesmo, sabia que o médico não ia sair assim me dando um diagnóstico na primeira consulta, mas como já tinha tido uma experiência nada agradável, o medo me consumia, me dominava mesmo.
Quando entrei no consultório fui recebida pelo sorriso mais simpático que eu já conheci, dois olhos ternos me olhavam, foi instantâneo, senti um alivio, o medo se afastando, uma sensação de segurança que há muito eu não sentia. E o meu amigo anjo mandou eu contar tudo, coitado dele, deve sentir arrependimento até hoje, porque eu contei, tudo mesmo, a luta, o cansaço, a dor dos exames, a dor da espera, a dor mensal de ver o sonho transformado na realidade vermelha que nos visita mês a mês. E o pior, eu chorei, eu que dificilmente choro na frente dos outros, chorei ali, perante aquele homem que eu acabara de conhecer, contando minha dor maior e minha maior tristeza. Quando acabei meu relato, meu amigo anjo, começou as explicações necessárias em linguagem de pessoas normais, não em mediquez, para que eu entendesse quais poderiam ser os problemas e quais seriam nossos primeiros passos, porque seria assim, passo a passo, com calma.

Não vou encher vocês aqui de explicações de qual era o problema, o que eu tinha nem nada, Foram mais quatro anos, quatro anos de exames, exames e mais exames, três pequenas cirurgias, mais muitos meses de sonhos lindos com roupinhas, cheirinho de talco, mamadeiras e fraldas, transformados na realidade vermelha que nos visita mês a mês, Conclusão, vamos ao bebê de proveta, Duas tentativas frustradas, gente isso dói, dói tudo o que é necessário para o procedimento e dói profundamente a realidade de não dar certo. Depois da segunda tentativa, minha vontade era desisitir, esquecer, dizer chega, mas se tem alguma coisa que não combina muito comigo é essa tal de desistência, lá fui eu de novo, Em uma semana mais ou menos , são injeções e mais injeções, exames de sangue diários, ecografias, até ficar confirmado que é possível fazer a escolha dos óvulos para a inseminação.


E foi assim, no dia 13/06/88, lá fui eu pra faca de novo e desta vez enfim, deu certo,Meu filho Álvaro Luis (em homenagem a meu amigo anjo e ao pai) nasceu no dia 23/02/89, é o primeiro bebê pelo método GIFT do Rio Grande do Sul, quatro anos depois tive minha filha Gabriela, de maneira natural (a gente aprendeu a fazer sozinho viu. rsrsrr), mas a verdade é que uma das maneiras de curar o que me impedia de engravidar era uma gravidez, então sei que devo também a minha linda princesa à meu amigo anjo, E sabem o que eu queria mesmo dizer, foi o que escutei quando eu estava saindo do consultório na primeira consulta, na hora de dar tchau, meu amigo anjo pegou minha mão, me olhou bem nos olhos e disse.
-Iara, eu te prometo uma coisa, aqui, hoje e agora, talvez demore, vai dar trabalho, muitas vezes tu vai pensar em desistir, mas nós vamos ganhar esta luta, tu vai ter um filho, e eu vou estar do teu lado durante toda esta caminhada, Depois daquele hora, eu sabia, simplesmente sabia que daria certo, que eu ia conseguir. Afinal eu tinha ganhado um amigo anjo, e nada podia ser melhor que isso.


E olhem só gente que bela família eu e meu marido construímos, tá certo que foi necessário uma mãozinha, mas vamos combinar, são muito lindos os meus filhos, não são? E isso gente, essa força de um casal lutar, lutar, lutar e lutar, incansavelmente para realizar um sonho com certeza é amor.
E a dedicação do meu amigo anjo comigo, seu afeto, seu carinho, sua competência profissional e acima de tudo o coração mais humano que já conheci com certeza também é amor, Por isso eu digo, eu entendo bem do que é amor com certeza e do que com certeza é amor.

Querem conhecer meu amigo anjo? O nome dele é Álvaro Petracco. Tem algum casal amigo, ou parente, ou até mesmo você enfrentando essa luta, vem conhecer ele, não importa se você é do Sul ou de qual lugar do país, pois na clínica do meu amigo anjo tem gente até de outros países, pelo simples motivo de ele não ser somente um médico, mas ser um anjo também, Para conhece-lo é só passar aqui: Fertilitat e falar com essa pessoa maravilhosa da foto abaixo, que além de médico maravilhoso, anjo, vamo combina é bem gato né não?