Lembra de Mim – Poesia

Lembra de Mim

Lembra de mim,
Quando andares por estes caminhos
Cobertos de flores
Com aroma de carinhos

Lembra de Mim

Lembra de mim,
Quando andando por ai
Veres alguém rindo
Com lágrimas correndo na face

Lembra de mim,
Lembra que também
Já rimos assim
Lembra de mim,

Quando te sentires sozinho
Quando estiveres carente
Lembra de mim,
Do meu carinho

Lembra de mim,
Mesmo que isso
As vezes te pareça estranho
Lembrar de mim assim,

Sem motivo,
Até mesmo sem querer,
Não importa, somente
Lembra de mim!

Dizem que o poeta tem mania de ser triste, adora falar em solidão. Mas que culpa tem o poeta, se os poemas mais bonitos nascem na saudade, ou numa grande desilusão. Sou poeta sim, mesmo que as vezes negue, ou até tente acabar com a poesia que mora em mim.Existe aqueles dias, que a brasa vira fogo, e não posso mais negar, que para mim sempre é mais fácil escrever do que falar. Sou poeta sim, e por ser só sentimento e viver com o coração, também sei não ter direito de transformar em poesia, toda a dor que há em meu peito. Por isso meus poemas, talvez aqueles mais profundos, nasçam em momentos assim, quando o poeta sufocado, já morto de cansado, sobreviva até a mim.

E escondendo endereços, sobrenomes e nomes afins, faz em mim as poesias mais bonitas que conheço. Mesmo que eu insista, em deixar bem escondido, no meu peito reservado, no coração entristecido, a saudade que habita em mim.